Perguntas frequentes

perguntas e respostas

Perguntas mais comuns dos pacientes. Clique em uma pergunta e saiba a resposta.


Respostas


1 - Qual a função do implante dentário?
O implante dentário intra-ósseo tem a função de uma raiz dentária, pois sobre ele (ou eles), serão colocadas as próteses e seus componentes. Os implantes servem, portanto para suporte de prótese.


2 - O implante tem rejeição?
O implante dentário é de titânio comercialmente puro, grau IV, não sofre corrosão, não produz nenhum tipo de reação antigênica no organismo, sendo imunológicamente inerte, portanto não tem rejeição. Como a boca é um local contaminado, mesmo com todos os cuidados de anti-sepsia pode ocorrer infecção no local e levar a perda do implante, mas é um percentual muito pequeno.


3 - Quais são os riscos para a colocação dos implantes?
Na avaliação pré-cirúrgica é feita a medicação pré–operatória com analgésicos, antiinflamatórios e antibióticos. A cirurgia é realizada com anestesia local e após sua realização o paciente recebe uma bolsa de gelo para aplicar no local com a finalidade de evitar edema (inchaço).

Os exames pré-operatórios liberam o paciente para cirurgia, diminuindo ainda mais os riscos de complicações. É considerada uma cirurgia oral menor e tem duração média de uma hora a uma hora e meia, após a qual o paciente deve repousar, conforme as recomendações pós-operatórias que lhe serão passadas, por escrito, após a cirurgia. Recomendamos que o paciente faça repouso nas 24 / 48 horas, utilizando nas refeições líquidos e /ou pastosos de preferência frio ou gelado. È fundamental que o paciente siga as recomendações, principalmente no que diz respeito à mediação. Também é feita a orientação para a limpeza com anti-séptico diariamente, por meio de “bochechos”.


4 - Qual a garantia que eu tenho, que o implante vai ficar “preso” no osso?
A garantia está implícita nos índices de sucesso que são divulgados nos trabalhos científicos internacionais pelas revistas especializadas. Estes trabalhos relatam taxas de sucesso para cada local das arcadas dentárias, sendo menor perda na região anterior da mandíbula (queixo) e maior na região posterior do maxilar superior. Em média estas taxas ficam entre 8 e 10% de perda de implante.


5 - Quanto tempo dura um implante?
Não há uma resposta concreta na literatura científica mundial, tendo em vista que existem fatores que interferem na duração do implante, tais como higiene bucal do paciente e não comparecimento às consultas periódicas de manutenção. Pela nossa prática clínica podemos afirmar que um implante ósseo-integrado com uma prótese bem realizada e com higiene controlada pode permanecer na boca por 10 anos ou mais.


6 - Uso prótese convencional e quero receber implantes. Vou ficar sem usar a prótese durante este período?
O ideal é que o paciente fique sem usar a sua prótese nos primeiros dias após a cirurgia. Evitar o uso das próteses só traz benefícios para a cirurgia e conseqüentemente para o paciente. A partir do momento em que vai ocorrendo a cicatrização a prótese vai sendo ajustada pelo dentista. O princípio fundamental do procedimento da colocação de implante é manter a estética tanto quanto o possível, sem prejuízo do sucesso da cirurgia.


7 - Quanto tempo leva a colocação do trabalho de prótese sobre implante?
Para todo trabalho ser concluído passamos por 3 fases: Primeiro a realização da cirurgia, conforme já foi descrita neste manual, e aguardamos em média 3 meses para a cicatrização. São em média 3 consultas até a realização da cirurgia.
Após o tempo necessário para que o implante fique “preso” no osso, é feita a reabertura do tecido mole (gengiva) é colocado o cicatrizador.
Após mais ou menos 3 semanas de colocação do cicatrizador, é iniciada a fase de moldagem para a colocação dos componentes intermediários e a prótese. Pelo que foi descrita, podemos concluir que em média são necessários de 7 a 8 consultas para se ter o trabalho final concluído.


8 - Quais os cuidados que devemos ter depois que colocamos o implante e a prótese?
Toda prótese está sujeita a acidentes durante o ato mastigatório. O paciente deve evitar alimentos excessivamente duros e de pigmentação forte. O controle da placa bacteriana deve ser o mesmo para implantes e os dentes naturais. O controle periódico deve ser feito pelo dentista, pelo menos uma vez de cada 6 meses.


9 - Caso eu tenha pouco osso, que tipo de cirurgia de enxerto podem ser feitos?
Os enxertos para ganho de osso em altura e largura podem ser feitos de tecido ósseo retirado do próprio paciente, nos seguintes locais: dentro da boca, principalmente da mandíbula e fora da boca, na região de osso ilíaco, o local mais comum.

Pode também, serem utilizados biomateriais, que podem ser naturais ou sintéticos, geralmente com um custo mais elevado. Após no mínimo seis meses da realização da cirurgia, dependendo da cirurgia, os implantes podem ser colocados.
Os enxertos autógenos, isto é, retirado do prório paciente, geralmente têm um índice de sucesso bem maior que os biomateriais.


10 - Quantos implantes podem ser colocados em uma cirurgia?
O bom senso manda que não devemos sacrificar o paciente durante o procedimento cirúrgico. Portanto, toda uma arcada pode ser coberta por implantes, em números de 6 a 8, desde que o paciente o permita.


11 - Que tipo de anestesia é utilizada?
Quase que a totalidade dos primeiros implantes colocados são com anestesia local, à base de mepivacaína com vaso constrictor, não havendo até o momento nenhum caso de alergia à este fármaco em nossa clínica.


12 - Sou portador de problemas cardíacos. Posso ser submetido ao tratamento com implantes?
Os cardíacos são distribuídos em grau de complexidade da doença. Neste caso é solicitado, ao médico cardiologista, uma avaliação com relação ao risco cirúrgico, medicações especiais são prescritas e na sua grande maioria dos casos a cirurgia realizada.


13 - Que tipo de implante é utilizado na atualidade?
O implante utilizado é de titânio comercialmente puro, grau IV, tipo parafuso, imitando raízes dentárias de dois tempos cirúrgicos osseointegráveis.
Este sistema é aceito pela comunidade científica internacional, com publicação nos primeiros centros de implantodontia do mundo.


14 - É possível extrair um dente comprometido, e em seu lugar colocar imediatamente um implante com função mastigatória?
Nos casos unitários as indicações estão mais restritas, sendo indicados apenas para alguns poucos dentes e em situações especiais.
Nos casos de múltiplos implantes, principalmente na região anterior da mandíbula (queixo), esse procedimento é mais freqüente e tem respaldo em publicações internacionais.


15 - Porque os implantes são chamados de osseointegrados?
Os implantes de titânio, aceitos pela comunidade científica internacional, imitando raiz dentária, após sua colocação intra-óssea e passando o tempo necessário, fica “preso” no osso, através de uma fixação rígida, o que cientificamente foi denominado de osseointegração pelo pesquisador professor Branemark, em 1969.


16 - Os procedimentos de colocação dos implantes são autorizados pelas leis brasileiras? Quem pode realizar?
A Implantodontia foi reconhecida como especialidade pelo Conselho Federal de Odontologia no ano de 1993, ano em que o Ministério da Saúde obrigou aos fabricantes nacionais a terem o produto registrado; e na embalagem deve constar o tipo de esterilização, prazo de validade e outros itens. Podem realizar procedimentos de colocação de implante os cirurgiões dentistas habilitados para tal, como por exemplo os especialistas em Implantodontia, Periodontia e Buco Maxílo Facial.


17 - Quais as causa de perda de implantes? E se perder o implante, como devo proceder?
A maior quantidade de perda do implante acontece após a função mastigatória, possivelmente pela falta de higiene do paciente, excesso de carga mastigatória ou planejamento protético mal executado.
No primeiro tempo cirúrgico, durante o tempo de cicatrização do implante, dificilmente acontece infecção no local. Durante a cirurgia com os cuidados de anti-sepsia e irrigação que são tomados, dificilmente ocorre algum tipo de problema.

É importante ressaltar que os cuidados pós-operatórios são fundamentais para o sucesso do implante. Sendo constatado pela perda do implante, este pode ser removido e em seu lugar colocar outro, imediatamente ou logo após, dependendo do caso.
Sempre ao se proceder a reabilitação de outros elementos dentários deve-se ter cuidados especiais com o(s) elemento(s) suportado(s) por implante(s).


18 - Quanto tempo demora a cirurgia para a colocação do implante?
Para a colocação de apenas um implante, o tempo gasto é, na maioria das vezes, em torno de 30 minutos à uma hora. Para dois ou mais implantes, geralmente o tempo gasto não ultrapassa 2 horas.


19 - Tenho um dente “da frente” que está com problemas e tem que ser extraído para a colocação do implante. Vou ficar sem dente enquanto espero para colocar a prótese definitiva?
Não. Existe a possibilidade de ser confeccionada uma prótese provisória que poderá ser usada enquanto se aguarda para a colocação da definitiva.


20 - De que maneira o implante é colocado no osso?
Após todos os procedimentos cirúrgicos, o osso é exposto e nele é feito um orifício com a profundidade do implante, que é "aparafusado" para ficar bem preso.


21 - Eu tenho outras dúvidas. Como posso fazer a minha pergunta?
Clique aqui e faça a sua pergunta diretamente aos nossos profissionais.